Seja Bem-vindo, 01 de julho de 2022

Seja Bem-vindo
01 de julho de 2022

TIPTOLOGIA – Número 1

10 de junho de 2022   .   
Compartilhe

Iª parte

A “Revista de Parapsicologia número 14, elaborada pelo CLAP- Centro Latino Americano de Parapsicologia”, traz uma matéria com esse tema: “Tiptologia”.
Para facilitar a compreensão do internauta vou reproduzir aqui parte do texto, especialmente aquelas partes que facilitam uma melhor compreensão do assunto, sem tomar as partes mais polêmicas, que demandaria um estudo maior do assunto e também conduzindo para o lado polemico, deixando-se muitas vezes se perder a compreensão essencial do Fenômeno Parapsicológico. Neste trabalho em alguns momentos coloco os parágrafos em outra ordem e também introduzo subtemas aos mesmos. Também acrescentando minhas opiniões com frases e breves comentários. Com acréscimo de parênteses.

O artigo com esta temática por ser um pouco longo, para facilitar a compreensão do leitor o dividi em partes, ou seja, em cinco partes.

Obs.: O CLAP não existe mais, e sim o Instituto Pe. Quevedo de Parapsicologia. E nem esta revista é editada. Parou de ser editada a muito tempo. Mas o artigo é interessante.

Obs.: A Escola de Parapsicologia ligada ao Instituto Pe. Quevedo não usa normalmente o termo paranormal e sim dotado e nem a expressão fenômenos paranormal e sim fenômenos parapsicológicos.

Etimologia
Tiptologia. (Tipto = golpear; logos = tratado).
“Nomenclatura usada pelos especialistas para designar o estudo (ou o mesmo efeito) dos ‘raps’, plural da palavra inglesa ‘rap’ (choque, golpe, batida) que em forma verbal significa bater, golpear repetidamente.

Tiptologia: a telergia produzindo ruídos”.

Sobre a tiptologia
Estes batidos, golpes, ruídos por serem produzidos pela telergia, não se vê aparentemente ninguém golpeando, batendo ou causando os ruídos. Sendo um fenômeno que assusta, que é a tiptologia. Mas é provocado pelo ser humano, e não forças do além. Uma pessoa que normalmente inconscientemente desencadeia a força necessária para provocar o fenômeno da tiptologia. (Pe. EMANUEL)

Neste trabalho ainda, não vou explicar com clareza o porquê a pessoa faz isso. Os motivos podem ser vários, chamar atenção, causar pânico, demonstrando revolta a alguma coisa, principalmente em casa. E normalmente quem os produz não tem consciência que ela é a causadora do fenômeno, quando estes são autênticos e não truques. (Pe. EMANUEL)

II ª parte

Economia de Energia
“René Sudre, para explicar a economia de energia que pode apresentar a tiptologia violentos ‘golpes’, mas que podem não deixar marcas, exemplifica: ‘Quando se dá um golpe de martelo sobre um prego, originam-se três efeitos principais: um efeito mecânico, (a introdução do prego); um efeito térmico (o aquecimento); um efeito vibratório (que se percebe como ruído-som). Os dois primeiros absorvem quase toda a energia. Ora, este desperdício em movimento e em calor é muito limitado nos ruídos parapsicológicos e por isso a algazarra horripilante que se ouve nas casas ‘mal-assombradas’, não exige mais que um pequeno desgaste de energia’”.

Várias formas de energia e a telergia
“Não se pode negar que o calor e outras energias físicas comuns, como, a umidade, a eletricidade estática, etc., podem ser responsáveis normais de muitos ‘raps’. Muitas vezes, porém, a origem desses ‘raps’ é a Telergia”.

Reflita e analise:
– Quais questionamentos você faria a esta segunda parte do artigo?

IIIª parte

Telergia
“Telergia é a causa invisível, a força que golpeia ou move os objetos. Telergia é a energia somática transformada e exteriorizada, que depende do indivíduo vivo”.

A Telergia sob dois pontos de vistas
“Tipos de ação. Podemos classificar a telergia sob dois pontos de vista. No primeiro, observamos que os ruídos se podem efetuar em contato ou à distância; e no segundo, o do ruído, em superficiais e profundos. 0 mais normal é que se efetuem os ‘raps’ em mesas de madeira, encontrando-se mais dificuldades sobre objetos de metal. Também observamos que a intensidade dos sons produzidos está em razão inversa à umidade e densidade da madeira. Sob a ação da telergia as mesas costumam ficar carregadas de eletricidade, tendo-se comprovado (René Sudre, e anteriormente, em 1872, o Dr. Serilar) que a tiptologia se deve não a um esforço de pressão ou de torção, senão as ações estritamente localizadas e espalhadas em centros”.

Reflita e analise a terceira parte:
– “0 mais normal é que se efetuem os ‘raps’ em mesas de madeira, encontrando-se mais dificuldades sobre objetos de metal”.

– “Observamos que a intensidade dos sons produzidos está em razão inversa à umidade e densidade da madeira”.
– “Sob a ação da telergia as mesas costumam ficar carregadas de eletricidade”.
– “A Tiptologia se deve não a um esforço de pressão ou de torção, senão as ações estritamente localizadas e espalhadas em centros”.

IVª parte

Quando ainda existia o CLAP
“No Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP) temos observado fenômenos das duas classes: tiptologia de origem superficial e tiptologia de origem profunda. Também se verifica o efeito poli psíquico. À grande distância ou com grandes obstáculos entre o dotado e a mesa, por exemplo, o fenômeno desaparece. É um fenômeno parapsicológico que como tal só se manifesta nos ‘sensitivos’ e segundo o grau de ‘dons’ que possuam. Aparece e desaparece subitamente, seguindo a mutabilidade típica das condições psicológicas e parapsicológicas”.

Efeito de Telergia
“Todo este conjunto do características da tiptologia, assim como os fatos (frequentemente observados) de perda de peso do dotado na produção dos ‘raps’ e de ser frequentemente acompanhado perceptivelmente por movimentos musculares do ‘médium’ (dotado), coincidem com o que caberia esperar de um efeito de telergia. As manifestações inteligentes expressadas pela tiptologia não superam a inteligência do dotado (levando-se em conta o que logicamente se pode esperar do inconsciente e seu talento e faculdades, inclusive, parapsicológicas)”.

Reflita e analise a quarta parte:
Duas Classes:Tiptologia de origem superficial e tiptologia de origem profunda. Também se verifica o efeito poli psíquico”.

– “À grande distância ou com grandes obstáculos entre o dotado e a mesa, por exemplo, o fenômeno desaparece”.
– “As manifestações inteligentes expressadas pela tiptologia não superam a inteligência do dotado”.

Vª parte

Exemplo
“Em janeiro de 1956, uma casa ‘mal-assombrada’, em Saint-Lupicin, Jura, tornou-se conhecida em toda a França através dos jornais. Chamaram o sacerdote do lugar para que benzesse a casa. 0 sacerdote aceitou, mas como homem culto que era, aconselhou que afastassem da casa a menina Juliette R., na qual ele via o dotado responsável de tudo. A família seguiu o conselho do sacerdote, e esta ‘benção’ surtiu efeito: daquele dia em diante desapareceu o encantamento… Antes, muitos pesquisadores, pessoas cultas, a polícia, etc. tinham observado tudo e cada coisa sem encontrar nem o mínimo vestígio de fraude”.

Truques e fraudes
Pe. Quevedo e toda a sua escola insistem sempre que os fenômenos parapsicológicos são sempre espontâneos e incontroláveis. Quando se controla para que eles aconteçam exatamente na hora que quer e o quanto deseja, não passa de truques e fraudes. Há vários exemplos de ilusionista que dominam os truques pela magia que desmascara muitos paranormais em público quando estão trucando e dando a entender que são expressão da força da mente. Quevedo nestes casos chamam esses que trucam de charlatões. É claro que a escola Quevedo não nega o fenômeno. Mas fala de critério e análise rigorosa para não sermos iludidos com truques que passam como fenômenos verdadeiros.

Tiptologia autêntica
“Excluídos os casos comprovadamente fraudulentos e alguns outros que podem ser explicados por fatores de ordem natural, como calor, a umidade, etc., cientistas do mundo inteiro identificam a tiptologia autêntica como uma realidade parapsicológica, um fenômeno próprio de telergia”. (FILHO, p. 50).

Conclusão
Este texto que apresentei aqui do CLAP, não esgota o assunto, como texto nenhum faz isso. Porém dá uma ideia interessante sobre o tema. Creio que o internauta leigo no assunto deve ter conseguido ter uma ideia inicial do mesmo. Em outra oportunidade volto a este tema, abordando sobre outros aspectos podendo o internauta com isso e ampliando a compreensão do mesmo. (Pe. EMANUEL)

Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Parapsicólogo Clinico – ABPSIG 409

Referência Bibliográfica:
-Revista de Parapsicologia número 14, elaborada pelo CLAP- Centro Latino Americano de Parapsicologia.
– FILHO, Pe. Raimundo Elias. Mistério do Aquém e do Além à Luz da Parapsicologia. 2ª edição, Editora Paulus, São Paulo – SP, 2003.

LEIA TAMBÉM

    cat