Seja Bem-vindo, 26 de maio de 2024

Seja Bem-vindo
26 de maio de 2024

O Questionador – Revoltado e Contestador

19 de abril de 2024   .   
Compartilhe

Introdução
O parapsicólogo Dr. Pedro Antônio Grisa (falecido) quando fala das personalidades, diz sobre a personalidade Idealista. E um dos papeis do Idealista é o Grito. Papel do Revoltado e Contestador. Muito interessante seu estudo sobre o assunto, porém, não explica tudo mesmo sendo um ótimo trabalho sobre esses que normalmente agem assim.

A psicóloga e pesquisadora Lillian Glass (norte-americana) tem uma outra classificação da personalidade humana classificando-a em quatorze tipos diferentes. Elas não serão analisadas aqui nesse artigo. Porém no seu vasto estudo, fala da Síndrome do Questionador. É esse tema por ela abordado que diretamente pretendo refletir aqui. Este vai de encontro ao que o Grisa fala do papel do Revoltado e Contestador.

Esse tipo de comportamento quando frequente, acaba para Lillian Glass sendo a Síndrome do Questionador e para Grisa aquele que Grita. Papel do Revoltado e Contestador.

1. Criadores de casos e obstáculos.
Aqueles que com frequência são criadores de casos. “Pessoas que contradizem tudo, ‘criadores de obstáculos’ que se sentem tão ameaçados que precisam se exibir dizendo o contrário e dando informações conflitantes para melhorar suas posições”. (Lillian Grass).

2. Estão sempre competindo
Numa reflexão mais ampla, vemos que quem age assim com frequência causa constrangimento e normalmente deixam vazar verbalmente que não estão respeitando as outras pessoas, mesmo que queira passar outra impressão. Mostram, ainda que “não queiram”, estão competindo com as outras. O porque competem?
– Pode ser por não gostar de alguém ou grupo de pessoas
– Ou por que, inconscientemente sentem ameaçada por alguém ou pelo grupo.

3. Visão de Grisa
Em relação ao ser único, Grisa diz que quem age assim é porque precisa ser distinto, como ser único, ficando diferente dos outros membros da família, no jogo das relações familiares, então começa se comportar como Revoltado e Contestador. Nesse sentido Grisa ver como uma coisa positiva, sendo o Grito uma forma mais primitiva de chamar atenção. É como ele fala: o grito de socorro, o grito de susto, de raiva, o grito de alegria, o grito de medo. Como também de entusiasmo. O grito de protesto e de vitória. Lembra também que a criança que passa a chamar atenção pelo grito, onde o educador a valoriza. Isto vai reforçando a sua personalidade.

4. Visão de Lillian Glass
Ela analisa esse tipo de personalidade, de modo mais crítico. Parece contraditório dizer: faz critica encima dos críticos. Ou seja, critica aqueles questionam e contestam sistematicamente. Critica no sentido exato de ter critério, estudo apurado deste tipo de personalidade. E a crítica que faz deveria levar os contestadores a uma reflexão, para que mesmo sendo questionadores e revoltados, aí possam deduzir: sabendo o porque e como devem conduzir sua personalidade sem prejudicar outrem e serem menos competitivos e não sentir tanta ameaças em relação as outras pessoas.

A Psicóloga registra que nas relações familiares é comum irmãos de idades próximas entrarem em conflito, a fim de sobressair um sobre o outro.

5. Relações entre casais marcada por competição
Nas relações conjugais onde a competição fala mais alto um vai contestar o outro sempre e questiona-lo. E quem age assim quer mostrar que tem a razão, é o sabe tudo, quer sentir maior, poderoso e superior. O que acabam revelando insegurança, pobreza de espirito e desrespeito. Um casamento assim fica insuportável.

Lillian Glass dá um exemplo: Foi convidada para
“jantar com um casal. Foi uma experiencia bastante incômoda, porque a esposa contradizia tudo o que o marido dizia. Ela tinha de mostrar que estava no comando por meio dessa contradição constante.

Quando falava sobre a viagem que havia feito ao continente europeu, por exemplo, mencionou terem comprado cadeiras à Luís XIV. ‘Não eram cadeiras Luís XIV’, protestou a esposa. ‘Eram copias baratas. Eram cadeiras velhas e em péssimo estado, em cujo estofamento tive de gastar uma fortuna. Agora elas parecem um pouco mais decentes!’

Em seguida o marido comentou sobre como havia adorado visitar Florença. ‘Florença’, exclamou a esposa. ‘Você odiou Florença!’ Mal podia esperar para sair de lá! Não parava de dizer que estava cansado de ver todas aquelas lojas chiques e todas aquelas coisas caras. Pelo amor de Deus, você nem foi ao museu onde fica o Davi de Michelangelo!’

O marido respondeu com o rosto vermelho: ‘Naquele dia eu sofri uma intoxicação alimentar e tive de ficar na cama.’
‘Você não sofreu intoxicação alimentar’, contrariou a esposa. ‘Você comeu como um porco na noite anterior. Devia ter visto o que esse homem comeu… Tigelas e mais tigelas de massa!’

O pobre homem não tinha chances de vencer. Ao longo da noite, o que quer que dissesse, a esposa tinha de sobressair-se dizendo o posto. O marido estava visivelmente embaraçado, como todos sentados em torno da mesa. A sabe-tudo com quem ele se casara podia extrair satisfação e sentir-se poderosa e superior contrariando tudo que ele dizia. Mas também revelava que era insegura, pobre de espirito e desrespeitosa.” (Lillian Glass – p. 94).

Esta mulher nutria ressentimentos contra o marido. Esse casamento acabou depois não dando certo. A competição e desrespeito falando mais alto o casamento não se sustentou.

6. Questões:
1) Se você tem esse tipo de personalidade pode refletir melhor seu comportamento, como poderia comportar de modo a não ser desrespeitoso e nem competitivo? De cara muitas vezes dirá: mudar para que? Eu sou assim e acabou. Quem não quer ouvir a verdade que se dane. Bela desculpa de prepotência para não mudar. Deixe o orgulhe de lado e se questione e mude.
2) E você que convive com pessoas com esse comportamento, acha que o certo é revidar a altura? Com certeza não? E como age nesses casos? Já pensou qual deve ser o seu melhor procedimento?

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
GRISA, Pedro A; O Jogo E A Estrutura das Personalidades. 03. ed. Edipappi/Lipappi-Me. 1995. Página 277-278.
GLASS, Lillian. EU SEI O QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO. Como decifrar pessoas observando gestos, postura, voz e olhar, entre outros sinais. Tradução: Débora da Silva Guimarães Isidoro. 4ª edição. Editora Best Seller. 2004. Página 93-94

Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Parapsicólogo Clinico
ABPSIG – Registro 409

LEIA TAMBÉM

    cat