Seja Bem-vindo, 21 de maio de 2024

Seja Bem-vindo
21 de maio de 2024

Moldagens – Número 1

08 de junho de 2022   .   
Compartilhe

Iª Parte
Introdução
Neste trabalho, com esse tema: Moldagens, me servir de três artigos da escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo (falecido). Na Escola de parapsicologia ligada ao Sistema Grisa este assunto não aparece. E uma vez aparecendo a explicação de antemão com certeza será que quem o desencadeia, o faz pela energia desencadeada pelo seu subconsciente.

Os três artigos que me refiro: Moldagens – do livro Panorama da Parapsicologia ao Alcance de Todos, página 129-130 do parapsicólogo Pe. Edvino (falecido). Os outros dois artigos do Site do Instituto Pe. Quevedo que são: Moldes, luvas…dos “espíritos”? e Impressões Digitais dos Espíritos? Confira na Referência (final do artigo)

Na classificação que Dr. Pedro Antônio Grisa parapsicólogo (falecido) faz, O Instituto Pe. Quevedo está dentro da classificação de Escola de Parapsicologia Católica. Quanto a esse assunto aconselho você ler um artigo que tenho e está publicado no Site Emana & Parapsicologia que é “CORRENTES (ESCOLAS) DE PARAPSICOLOGIA” NO BRASIL.

Simplesmente como é colocado a classificação pelo Grisa, com todo respeito ao mesmo, fica um rótulo que não traz esclarecimentos maiores. A escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo mesmo tendo crítica sistemática ao espiritismo, por seguir a linha teórica europeia de parapsicologia estuda temas normalmente ligados as práticas religiosas diretamente. O que não faz diretamente o Sistema Grisa, mesmo quando durante a formação tem um trabalho de campo com uma pessoa paranormal (que expressa alguma pratica religiosa). O que não vai em termos práticos além disso. A escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo além da prática espírita estuda também muitas manifestações parapsicológicas praticados por certos grupos católicos e evangélicos. É claro que o seu alvo crítico maior acaba sendo o espiritismo. Mas o estudo não se fecha só nesta questão.

Na construção que faço desse artigo, em alguns momentos coloco os parágrafos dos três artigos mencionados na Referência em outra ordem e também introduzo subtemas aos mesmos. Também acrescento minhas opiniões com frases e breves comentários. Resumo os textos pesquisados, sem perder o sentido fundamental de cada texto. Para que este artigo não fique longo e cansativo sua leitura.

IIª Parte
Moldagens – Definição
Sempre tenha a intensão de apresentar o tema de maneira que facilite a compreensão do leitor. Minha intensão não é me prender a crítica a nenhuma escola ou religião, mesmo levando em conta que neste caso, este tema como é abordado acaba em si trazendo crítica a pratica espírita. Mas você internauta ao final do artigo tire as suas conclusões, também critica.

Pe. Edvino define assim Moldagem: “é uma ação não fotográfica, mas mecânica, do ectoplasma ou telergia em objetos moles, de forma a fazer, por exemplo, luvas de parafina, impressões em argila, gesso e outras substâncias similares”. (FRIDERICHS, 129).

O método de Moldagem
A explicação nos vem também do parapsicólogo Pe. Edvino:

“O método de fazer a moldagem já é antigo. Segundo Aksakoff, foi empregado pela primeira vez em 1855.

Eis como ele foi aplicado pelo Dr. Geley: uma selha opaca, contendo parafina num fundo falso de água quente, é colocada próxima ao médium. A entidade materializada é convidada a mergulhar uma das mãos, um pé ou mesmo parto do rosto, por diversas vezes, na parafina. Forma-se, quase instantaneamente, um molde aplicado exatamente sobre esse membro, o qual, exposto ao ar, endurece rapidamente… Depois, a parte orgânica em jogo se desmaterializa, deixando a luva com os experimentadores. Mais tarde pode-se verter gesso nessa luva, depois livrá-la da parafina, mergulhando tudo em água quente. Resta então o gesso que reproduz todos os detalhes da parte materializada”. (FRIDERICHS, 129-130).

Pelo exposto até aqui fica claro que temos duas coisas a serem levadas em conta quanto a Moldagem. Primeiro é um fato que pode manifestar a paranormalidade do médium como a telergia e ectoplasma, sendo fenômeno parafisico. Há uma explicação natural clara pela parapsicologia. O que para mim dispensa uma explicação mítica ou religiosa. Em segundo lugar como é típico da escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo estudar Fraudes e Truques para levarmos em conta na apresentação desses fenômenos, se não estão sendo fraudados e trucados.

IIIª Parte
Além do texto de Pe. Edvino, os dois textos, que são: Moldes, luvas…dos “espíritos”? e Impressões digitais dos Espíritos? Esses dois textos são mais críticos diretamente a algumas práticas do espiritismo onde nos exemplos estudados, levantados e apresentados são mostrados fraudes e truques.

Ao invés de admitir o fenômeno como paranormal, com uma explicação natural, acabam nessas praticas querendo usa-los como provas de obter as impressões digitais de espíritos, para reforçar crenças e práticas religiosas.

“O que pretendemos… é analisar se as luvas, moldes, impressões… ao menos algum deles, têm ou não algum valor como prova da intervenção de algum espírito de morto. E também frisamos uma diferença importantíssima: uma coisa é algum fenômeno de ecto-colo-plasmia, raro, espontâneo, numa ‘casa mal-assombrada’, fenômeno possível; e outra coisa certamente charlatanesca é a pretensão de médiuns e espíritas de dominar a manifestação do fenômeno nas suas sessões habitualmente, com dia e hora marcados. E até em exibições públicas” … (MOLDES)

No mesmo texto sobre Molde, luvas… dos espíritos? Se diz:

“Para a parapsicologia há, pois, dois objetivos: Primeiro, excluir a fraude. Segundo, nos casos sem fraude, provar se é mesmo e só o ectoplasma e direção do médium, do vivo, e se há algum argumento, mesmo que fosse leve, para atribuir alguma coisa à intervenção do morto, ou… As primeiras experiências” (MOLDES)

Outra explicação do método de Moldagem

“A ideia e o método para obter delicadas luvas de parafina é o seguinte: Preparam-se dois recipientes, um com água fria, outro com água quente. Na superfície deste último, há uma camada de parafina derretida. A temperatura de fusão de parafina é baixa: pouco mais de 40 graus. Se um dedo, mão ou rosto ectoplasmático mergulharem no recipiente quente e imediatamente na água fria – ou ficando ao ar por algum tempo -, formará com a parafina uma luva. Repetindo o processo, a luva constará de finas capas e multiplicará a espessura. Quando se reabsorver o ectoplasma, ficará a luva com todos os detalhes. Dentro da luva ou do molde pode-se verter delicadamente gesso líquido. Quando este se tiver solidificado, pode-se fundir a cera em água fervendo, e se obteria assim a imagem perfeita da mão ectoplasmática” … (MOLDES)

IVª Parte
Comentando essa pratica em relação ao método,

“Acontece que a parafina, quando ainda quente, é elástica e amoldável, com facilidade pode-se ampliar a luva movendo o dedo ou a mão por dentro do molde para representar o dedo ou a mão do suposto espírito Big (grande) Dick. E com facilidade pode-se reduzir, pressionando o molde por fora. Qualquer inabilidade, Denton a explica… simploriamente: ‘Sucedeu por mais de uma vez inutilizarem-se as formas em consequência de estar a parafina ainda muito mole’.

Pretendendo provar a identificação dos ‘espíritos’, acentuam que… ‘Todas as linhas, as cavidades e os relevos que se veem nos dedos humanos sobressaem com muita nitidez’”. (MOLDES)

Prossegue o comentário dessa pratica:

“Oferece isso alguma nova garantia contra a fraude? É isso identificação dos espíritos dos mortos? Interessaria a comparação das marcas digitais dos moldes com as da médium e as do seu marido. Não foi feito!!!

Que se vejam dedos ainda cobertos de parafina, é na verdade mais a favor da fraude, porque, como o mesmo Denton afirma a outro respeito, caindo de novo em admirável ingenuidade, ‘mergulhando um dedo em parafina fundida, ela se destaca facilmente do dedo’. Isso facilita o truque”. (MOLDES)

O texto apresenta também uma crítica de quem tem esta pratica religiosa não aceitar uma análise mais apurada, com controle cientifico,

“O prestigioso parapsicólogo Paul Heuzé convidou Kluski a realizar suas moldagens na Sorbonne sob o controle científico do professor Piéron e colaboradores daquela Universidade.

Foi muito suspeito que o ‘grande médium’ e os ‘espíritos superiores’ não aceitassem em hipótese alguma”. (MOLDES)

Vª Parte
A crítica apresentada no texto referido até agora diz também:

“Os profissionais da arte de moldagem (e da medicina etc.) conhecem muito bem as melhores técnicas. Os parapsicólogos por sua parte, e o próprio Tocquet, advogam pela necessidade de se conhecer os truques, as técnicas de enganar, conscientes ou inconscientes, às vezes muito complicadas, próprias dos profissionais da mediunidade, do curandeirismo… e dos mágicos”. (MOLDES)

Fenômeno paranormal ou parapsicológico, por isso,

“Expressamente, portanto, todo o fenômeno da ecto-colo-plasmia e moldagem, como todo fenômeno parafísico, se origina no próprio médium, na mocinha que “assombra” a casa, no supersticiosamente chamado endemoninhado, etc. etc. Indiscutivelmente em todos os fenômenos parafísicos, a matéria-prima é o ectoplasma (ou telergia quando invisível) dos vivos”. (MOLDES)

Como ocorre a Ideoplastia?
“Quando tais fatos são autênticos, não trucados, só provam que a ideoplasmia do médium, por um lado realiza o desejo de moldar a mão do personagem com que o inconsciente se disfarça; por outro lado a própria ideoplasmia se desmascara e mostra que é o médium mesmo quem deseja, dirige e realiza as moldagens”. (MOLDES)

O texto apresenta mais uma crítica aos “mestres espíritas”,

“Os ‘mestres’ espíritas, no seu absurdo fanatismo, insistem:

Resultado de uma lei natural que poderia ser formulada assim: toda individualidade transcendente que se manifesta de novo na esfera da existência terrestre fica submetida, enquanto dura esta manifestação, às mesmas condições nas quais se achava no fim de sua existência fenomenal. Isso implicaria, por assim dizer, um esquecimento temporário das condições de sua existência transcendente e uma volta à existência fenomenal, tal qual era no momento de sua extinção”. Palavras de Aksakof”. (MOLDES)

VIª Parte
O texto sobre Moldes, luvas… dos espíritos? Faz essa conclusão:

“E o que também afirmamos uma vez mais é que todos os fenômenos parapsicológicos são espontâneos. Ninguém os domina e os realiza com hora marcada, como pretendem os médiuns. Nem o mais frequente dos fenômenos parapsicológicos, a telepatia. Há muitos anos que venho apostando 10.000 dólares (não os tenho, mas sei o que aposto) contra cem com os adivinhos, médiuns… profissionais, a que adivinhem onde está o cadáver de Ulises Guimarães. Por que não adivinham onde estão os sequestradores de Carlinhos? Adivinhem onde se esconde Osama Bin Laden, e ganhariam 80 milhões de dólares…, em vez de cobrar 50 reais aos ingênuos que os consultam”. (MOLDES)

Quanto ao texto Impressões digitais dos Espíritos? Tem uma crítica forte e pesada da parte do texto quanto alguém coloca essas impressões digitais como Milagres:

“No intuito de igualar os milagres, fenômenos SN, divinos, às minúcias humanas do espiritismo e seitas, como máximo fenômenos EN (extranormais) e PN (paranormais), Mirabelli dizia hipocritamente que sua grande moldagem havia sido por milagre de Deus, que havia sido o próprio “espírito” de Cristo que imprimira Sua Mão, Rosto ou Corpo Inteiro.

É blasfêmia atribuir aquelas impressões e mesmo truques a Deus! O milagre, para fins de pesquisa, pode ser descrito como “um fato perceptível, no nosso mundo, por força não de nosso mundo”. A pesquisa posterior demonstrou que milagres, corretamente diagnosticados, só há em ambiente judaico antigo, depois só cristão e depois exclusivamente em ambiente católico. Conclusão fecunda, até estarrecedora, tema fascinante que deverá ocupar-nos em muitos artigos” … (IMPRESSÕES DIGITAIS)

VIIª Parte
Conclusão
Os dois textos Moldes, luvas…dos “espíritos”? e Impressões digitais dos Espíritos? não cita o autor. Mas pelo que conheço dos livros do Pe. Quevedo, artigos de revistas, entrevistas e fala televisiva não tenho dúvida que o texto seja dele. Porém, mesmo não tendo dúvida, preferi não citar o autor na referência e ao colocar a citação dentro do artigo mencionar o texto que o leitor consegue pela menção distinguir qual é.

Como afirmei deste a introdução os dois textos do Instituto Pe. Quevedo, são longos, tentei resumir o máximo. Espero ter conseguido e com isso dado uma compreensão clara do que seja a Moldagem. Assim chamada por Pe. Edvino e para o Instituto Pe. Quevedo recebendo outros nomes que expressão esta moldagem como Moldes, luvas… dos espíritos? Ou então como Impressões digitais dos Espíritos?

Referência
FRIDERICHS, Edvino Augusto. Panorama da Parapsicologia ao Alcance de Todos. 5ª edição. Edições Loyola, São Paulo – SP. 1997.
MOLDES, luvas…dos “espíritos”? Matéria do Site do Instituo Pe. Quevedo ativo em 14/12/22
IMPRESSÕES DIGITAIS dos Espíritos? Matéria do Site do Instituo Pe. Quevedo ativo em 14/12/22

Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Parapsicólogo Clinico
ABPSIG – Registro 409

LEIA TAMBÉM

    cat