Seja Bem-vindo, 20 de junho de 2024

Seja Bem-vindo
20 de junho de 2024

INSENSIBILIDADE – Número 1

11 de junho de 2022   .   
Compartilhe

Iª parte
Caro internauta este é mais um fenômeno parapsicológico: Insensibilidade, que o Instituto Pe. Quevedo classifica como Fenômeno de efeito misto (psicofísico). Já publiquei na página do faceboock um artigo no Site Emana & Parapsicologia que foi: SEGUNDA PARTE – CLASSIFICAÇÃO DOS FENÔMENOS PARANORMAIS OU PARAPSICOLÓGICOS, destacando mais a visão da escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo. Lendo o artigo você compreendera porque esse tema entra nesta classificação de fenômenos psicofísicos.

Insensibilidade
“É a capacidade de uma pessoa não sentir dor ou qualquer reação negativa mesmo que, efetivamente, seja provocada e tenha motivos para tal”. (FILHO, p. 62). Você deve estar se perguntando como isso acontece? Ou talvez você nem se pergunte, nem se questione. Mas já deve ter visto ou ouvido casos de pessoas insensíveis a dor.

Na TV e mesmo no YouTube você poderá ver coisas neste sentido até de maneira bem exagerada. “Apresentações fantásticas de mágicos, faquires e artistas de circos famosos. Nelas se veem, com facilidade, grandes pedras de granito sendo quebradas a marretadas no estomago de um voluntário, uma criança deitado sobre uma cama de pregos sustentando sobre seu corpo um homem de pé, agulhas ou pregos penetrando na pele e nos orifícios de alguém, outros que comem fogo ou caminham sobre brasas acesas descalços e assim por diante”. (FILHO, p. 63).

Você deve estar se perguntando quem são os faquires? No dicionário você encontra: “Nome dado ao indivíduo que se exibe submetendo-se a suplícios e jejuns para dar provas de resistência a dores físicas e privações”. Sabendo disso, fica mais fácil para você compreender com maior clareza no texto quando surge a expressão.

Reflita e Analise:
– Comente: “É a capacidade de uma pessoa não sentir dor ou qualquer reação negativa mesmo que, efetivamente, seja provocada e tenha motivos para tal”.
– Comente: “indivíduo que se exibe submetendo-se a suplícios e jejuns para dar provas de resistência a dores físicas e privações”.
– Você tem algum questionamento a esta primeira parte do texto? Qual?

IIª parte
Como você viu na primeira parte deste trabalho: as apresentações fantásticas de mágicos, faquires e artistas de circos famosos exibindo através de certas práticas de dor provando serem resistentes às mesmas. “Todos esses fenômenos podem ser realizados sem grandes complicações, mediante técnicas e exercícios especializados. Para tanto, faz-se necessário, tão-somente, dedicação e treinamento, além é claro, de certa dose de coragem e ousadia”. (FILHO, p. 63)

Insensibilidade por sugestão e Hipnose
O parapsicólogo Pe. Edvino (falecido) procurava demonstrar em relação a Insensibilidade a dor, que esta, pode se dá por sugestão. Quando a pessoa é facilmente sugestionável. E desenvolve um vasto trabalho sobre isso. E consequentemente fala da insensibilidade a dor por hipnose.

Insensibilidade ao frio e à fadiga
Fala também da insensibilidade ao frio e à fadiga de pessoas que vivem em regiões muitos frias e diz: “Tais temperaturas determinaram o desenvolvimento entre os monges tibetanos, lamas de uma de suas extraordinárias características, o absoluto controle da temperatura do corpo. Esses monges são treinados desde a infância para pôr em pratica suas excepcionais aptidões. O candidato deve permanecer, às vésperas de sua investidura com Lama, uma semana completamente nu, às margens de um lago congelado. O postulante fica sentado na posição iogue do lotus…” (FRIDERICHS, 205)

Insensibilidade ao fogo – Enormes exageros.
Em relação a insensibilidade ao fogo também o parapsicólogo Pe. Edvino desenvolve o seu trabalho. “Os monges do Tibet desenvolveram pistas, onde encontrar solução para os segredos da insensibilidade, mormente ao fogo. Mas adverte que existe em escala grande a ‘magia do fogo’, a piromagia. Sem falar nos enormes exageros quando a insensibilidade ao fogo principalmente dos mágicos fazendo proezas espetaculares. Há formulas e receitas determinadas para preparar as mãos, os pés e mesmo todos o corpo, por exemplo, para pegar carvão em brasa. Mediante uma substância química prepara-se a mão para tornar-se insensível ao fogo. Para marchar sobre brasas sem queimar os pés, há ainda a possibilidade ir habituando os pés até, paulatinamente, suportarem grandes temperaturas”. (FRIDERICHS, 206).

Reflita e Analise:
Comente: Insensibilidade por sugestão e Hipnose
Comente: Insensibilidade ao frio e à fadiga
Comente: Mesmo faltando uma parte que complementa o que apresentamos até aqui. Este complemento virá na terceira parte. Mesmo assim procure comentar: Insensibilidade ao fogo – Enormes exageros.

IIIª parte
Insensibilidade ao frio, à fadiga e ao fogo e outros semelhantes – Exageros
“Sempre há fortíssima dose de exagero. Pessoas afeitas a andarem descalças, como nosso homem da roça, criam na planta dos pés uma camada dura e resistente, que o povo denomina de ‘cascão’. Este, por sua vez facilita o andar sobre brasas, sem sentir grande dor. Descartando, porém as receitas, de molde a capacitar o corpo, durante muitos anos para esses ‘prodígios’, restam ainda as centenas de truques do ilusionismo”. (FRIDERICHS, 206). Vendo ainda como exagero, Pe. Edvino dá um exemplo: “Nos anos que fui capelão auxiliar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, trouxeram, certa vez, para ser urgentemente medicado, um homem com queimadura de ultimo grau, em consequência das quais morreu. Quando indaguei o que havia acontecido a ele, me contaram que no dia de São João fizeram crer ao coitado, que o fogo nesse dia não queimava, por intercessão do grande santo. O homem na sua ingenuidade e boa fé entra no fogo, e eis que o fogo contudo, queimou, o que era normal e as queimaduras lhes foram fatais”. (FRIDERICHS, 206). Sobre este caso dado como exemplo prossegue Pe. Edvino: “Se o fogo não queima nos espetáculos públicos de circo, teatro e idênticos, é que há truques ou um corpo longamente preparado por receitas e exercícios mantidos em segredo. Deus nessas circunstancias nunca opera algum milagre. Sempre existe uma explicação natural”. (FRIDERICHS, 206).

Em relação aos Santos
Diz o parapsicólogo Pe. Edvino que “nas vidas dos santos temos uma serie de casos possivelmente, são milagres, entretanto, para qualificar um fato como milagre, deve ser cientificamente bem comprovado, o que não acontece com os episódios narrados nas hagiografias”. (FRIDERICHS, 206). Depois de um longo estudo criteriosos do fato, descartando inclusive possibilidade de truques. Aí, sim temos o milagre.

Reflita e Analise:
Comente: Insensibilidade ao frio, à fadiga e ao fogo e outros semelhantes – Exageros
Comente: Comente o homem com queimadura de ultimo grau que veio a morrer na Santa Casa de Misericórdia.
Comente: Em relação aos Santos

IVª parte
No seu livro “Panorama da Parapsicologia ao alcance de todos”, Pe. Edvino, além de abordar a Insensibilidade ao frio, à fadiga e ao fogo e outros semelhantes. Vendo também Exageros em relação ao assunto. Fala também dos faquires e de truques.

“Em relação a autossugestão e a hipnose é que vamos encontrar as causas da chamada insensibilidade no sentido parapsicológico” diz Pe. Raimundo. No Sistema Grisa podemos dizer a pessoa usando o seu potencial mental (paranormalidade) consegue, então, fazer essa proeza em relação a insensibilidade. Já Pe. Raimundo se prende a autossugestão e ao transe hipnótico.

De que maneira alguém pode não sentir dor, mesmo tendo motivos reais para isso?
Creio que você internauta que já leu as três primeiras partes desse assunto, já deve ter alguma resposta. O parapsicólogo Pe. Raimundo dá uma explicação. Veja e depois você analisa:

“A dor, é, acima de tudo, sensação. A dor é um conjunto de reflexos que respondem aos estímulos externos, mas esses estímulos são interpretados pelo cérebro. Qualquer sensação, por mais superficial e externa que possa parecer, é, de fato, interpretada e projetada de volta no local da dor pelo cérebro.

Não é uma realidade só objetiva, provocada do exterior; mas principalmente subjetiva, provocada pela reação cerebral.

No conjunto dos reflexos cerebrais, de acordo com as pesquisas dos estudiosos, o cérebro é livre e pode escolher se vai reagir com dor ou com prazer, com insensibilidade total (analgesia) ou com sensibilidade aguda (hiperalgesia).

Assim, a reação a determinado estimulo vai depender não tanto do corpo em si, mas do estado em que a mente se encontra em função das diferentes influencias psíquicas que recebe. Por meio destas influencias, cada célula, cada neurônio, varia entre um estado hipersensível e um estado de inibição total da sensibilidade”. (FILHO, p. 63)

Reflita e Analise:
Comente: o que achou da resposta à pergunta: de que maneira alguém pode não sentir dor, mesmo tendo motivos reais para isso?

Vª parte
Continuando o que vimos na parte anterior (4ª parte) sabemos que a pessoa em estado alterado de consciência pode manifestar alguma insensibilidade a dor. Isto pode acontecer quanto aos místicos em êxtase, quando o médium está em transe, o iogue em libertação, o sábio num grande momento de concentração. Todos eles nesses casos podem nada sentir neste estado.

A Insensibilidade como quaisquer outros fenômenos pode ser obtida através da hipnose. Em outras circunstâncias também como na histeria e outros desequilíbrios emocionais.

A Insensibilidade como vemos na parapsicologia não se trata de um fenômeno de outro mundo. Mas um fenômeno como nós já vimos na primeira parte: Fenômenos de efeitos mistos (psicofísicos). Uma coisa além do normal: paranormal. Mas deste mundo com explicação natural. Mesmo nos causando certa estranheza, encanto ou talvez grande medo para alguns quando depara com o fenômeno.

Reflita e Analise:
Espero que você tenha lido todas as partes desse assunto. O que achou? Deu para entender esse fenômeno na parapsicologia chamado de insensibilidade?

Conclusão
Assim neste trabalho com o tema: sobre “Insensibilidade”, nesta série com cinco partes encerramos o assunto, que não implica que não voltarei a abordá-lo em outra ocasião sobre outros aspectos. Espero ter ajudado a você internauta a conhecer mais um tema ligada a parapsicologia

Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Parapsicólogo Clinico
ABPSIG – Registro 409

Referência Bibliográfica
FILHO, Pe. Raimundo Elias. Mistério do Aquém e do Além à Luz da Parapsicologia. 2ª edição, Editora Paulus, São Paulo – SP, 2003.
FRIDERICHS, Edvino Augusto. Panorama da Parapsicologia ao Alcance de Todos. 5ª edição. Edições Loyola, São Paulo – SP. 1997.

LEIA TAMBÉM

    cat