Seja Bem-vindo, 01 de julho de 2022

Seja Bem-vindo
01 de julho de 2022

FOTOGÊNESE – Número 1

08 de junho de 2022   .   
Compartilhe

Iª parte

Obs.: A Escola de Parapsicologia ligada ao Instituto Pe. Quevedo não usa normalmente o termo paranormal e sim dotado e nem a expressão fenômenos paranormal e sim fenômenos parapsicológicos.

Neste trabalho, com esse tema: “Fotogênese” – vamos reproduzir em grande parte o texto publicado pela Revista de Parapsicologia número 23, elaborada pelo CLAP- Centro Latino Americano de Parapsicologia. O texto do artigo da revista é de Janet Vega. Em alguns momentos, (eu, Pe. Emanuel) coloco alguns parágrafos em outra ordem e também introduzo subtemas aos mesmos. Também acrescento minhas opiniões com frases e breves comentários. Com acréscimo de parênteses. Nesse Artigo também cito outro parapsicólogo que é Pe. Raimundo (ref. Bibliográfica)

O artigo com esta temática por ser um pouco longo, didaticamente, para facilitar a compreensão do leitor o dividi em partes (dez).

Fotogênese
É o fenômeno de luminosidade parapsicológica e tem recebido diversos nomes: Fosfogênese, telefania, Fotogênese, …

Etimologia
Fotós = Luz
Gênesis = Produção, geração

Sobre a Fotogênese
– “Resume-se, exclusivamente, numa manifestação específica da telergia. Falando de outro modo é a energia corporal exteriorizada, guiada pela mente e transformada em luz.
– É uma luminosidade, em maior ou menor grau, nas mais distintas formas, proveniente do ser humano. E não do além.
– Às vezes vista pelo dotado, e em casos de mais intensidade, também pelos observadores comuns”. (CLAP)

Exemplos:
– “Luminosidades, faíscas, pontos luminosos, nebulosidades brilhantes, globos luminosos, auras etc., que aparecem no ar.
– Com frequência, aparecem mais em determinados ambientes, como em certas sessões espíritas, onde se encontra grandes ‘médiuns’”. (FILHO, p. 49)

Ainda sobre a Fotogênese
– “Pelos estudos feitos sabe-se que estas luzes se deslocam no ar com maior ou menor rapidez, mudando de forma e intensidade. Muitas desaparecem num instante. Alguns casos mais raros, são vistas sendo reabsorvidas pelo médium.
– Não se trata de uma explicação sobrenatural. Pois há uma explicação natural, parapsicológica, sendo este fenômeno deste mundo, produzido pela telergia”. (CLAP)

Reflita e analise:
Analise: “Resume-se, exclusivamente, numa manifestação específica da telergia. Falando de outro modo é a energia corporal exteriorizada, guiada pela mente e transformada em luz”.

– Analise: “É uma luminosidade, em maior ou menor grau, nas mais distintas formas, proveniente do ser humano. E não do além”.
– Analise os exemplos dados.
– Analise: “Não se trata de uma explicação sobrenatural…”

IIª parte

A Fotogênese produzida pela telergia, precisa-se excetuar os casos de fraudes e outros tantos explicados pela eletricidade comum da própria natureza.

Fotogêneses fraudulentas
– A parapsicóloga Janet Vega lembra que fraudes em relação a fotogêneses: “não é difícil obtê-las artificialmente mediante óleos fosforados ou sulfetos de Cálcio, Bário, Estrôncio, que depois de serem expostos ao sol, emitem luminosidades na escuridão”.
– “
A ‘médium’ Mrs. Thompson utilizava botões banhados nessas substâncias para produzir fenômenos de Fotogênese nas suas sessões de espiritismo”.

Reflita e analise a segunda parte:
– No Sistema Grisa, pouquíssimas vezes, Grisa fala, em possibilidade de truques quantos aos fenômenos paranormais, mencionando rapidamente e vagamente esta possibilidade, e estes não são estudados.
– A “escola de parapsicologia” ligada ao Pe. Quevedo, por fazer crítica de fraudes a alguns médiuns, não só por isso, mas sim também por isso, Grisa classifica: “Escola Católica” que combate o espiritismo. Não podemos deixar de estudar as fraudes por causa disso ou ignorá-las. Se assim fizermos todo fato estranho e desconhecido passa ser paranormal. E qualquer exibicionista desses fatos vira paranormal, mesmo trucando. Há também casos de paranormais que fazem truques, e não são poucos… É claro que tem casos que não são truques, sendo autênticos fenômenos de fotogêneses. A respeito dos truques, é um tema muito estudado por esta escola de parapsicóloga.

IIIª parte

Exemplo de Fotogêneses fraudulentas
A parapsicóloga Janet Veja prossegue dando um exemplo bem estudado onde ocorreu fraude. Isso chama a atenção dos parapsicólogos antes de aceitar pura e simplesmente um fato como paranormal, é bom fazer uma investigação criteriosa, para poder chegar a esta conclusão ou não.

Veja o exemplo:
“São numerosos os casos de médiuns muito estudados e que só depois de muito tempo foram pegos nas suas fraudes, sendo estas variadas e com as mais diversas substâncias. Como exemplo, podemos citar o conhecido caso de Pasquale Erto. Deu sessões perante cientistas desde fevereiro de 1922. Em 1923 foi pesquisado pelo Dr. Geley, que em 1920 assumira a presidência do Instituto Metapsíquico Internacional de Paris. No mesmo Instituto, contando com a presença de ilusionistas, só depois de 36 sessões, os mágicos suspeitaram dos movimentos do médium. No jornal “Le Martin” de 7 de abril de 1924, apareceu uma nota do Instituto Metapsíquico anunciando ter achado um pequeno fragmento de Ferrocério (Ferrocerium) na sala, depois da sessão, ocasionando logicamente o protesto de Erto. Em abril e maio de 1924, é pesquisado na “Sorbonne” por Maurice Garçon, Paul heuzé, Jean Winchon. É então que os pesquisadores, já alertados, começaram a cair na conta de pequenos detalhes que, por fim, os conduzem à descoberta da fraude. O exame microscópio do maiô (roupa grudada à pele para evitar fraude) de Erto, revelou a presença de fragmentos de Ferrocério (Ferrocerium); também foram descobertas minúsculas pontas de aço, que apesar dos rigorosos controles nas sessões, lograra introduzir furtivamente. Esfregando os elementos produzia faíscas dissimulando o barulho com um forte suspiro”.

Reflita e analise a terceira parte:
– Lembro: A “escola de parapsicologia” ligada ao Pe. Quevedo, por fazer crítica de fraudes a alguns médiuns, não só por isso, mas sim também por isso, Grisa classifica: “Escola Católica” que combate o espiritismo. Não podemos deixar de estudar as fraudes por causa disso ou ignorá-las. Se assim fizermos todo fato estranho e desconhecido passa ser paranormal. E qualquer exibicionista desses fatos vira paranormal, mesmo trucando. Há também casos de paranormais que fazem truques, e não são poucos… É claro que tem casos que não são truques, sendo autênticos fenômenos de fotogêneses. A respeito dos truques, é um tema muito estudado por esta escola de parapsicóloga.
– Você teria alguns questionamentos a esta terceira parte do artigo? Quais?

IVª parte

(Nesta sequência continuamos vendo nesta quarta parte a Fotogêneses fraudulentas)

“Em certa ocasião, o coronel Albert de Rochas acendeu a luz no momento em que o médium George Valiantine espalhava ‘fotogêneses’ com os pés previamente impregnados de fósforo”.

“Dos casos de fotogênese produzidos por Eusápia Paladino, existem muitos depoimentos. César Lombroso diz: “As aparições de pontos luminosos que Eusápia Paladino produz…às vezes são luminosidades indefiníveis, geralmente de contornos esfumados e de forma redonda, brilhantes; outras vezes se assemelham a ‘línguas de fogo’. São características, múltiplas e intermitentes, sendo impossível e até absurdo compará-las às fosforescências artificiais…

Mas em Paris, Eusápia perdeu um pedaço de ferrocerium, com o qual produzia os fenômenos luminosos”…

Reflita e analise a quarta parte:
Pelos Exemplo de Fotogêneses fraudulentas tanto na terceira parte deste estudo como nesta quarta parte vemos que:
– Como disse na terceira parte, a parapsicóloga Janet Veja nos dá exemplos bem estudados onde ocorrem fraudes em muitos fenômenos ditos “paranormais”.

– Por isso, fica o alerta, a chamada de atenção dos parapsicólogos antes de aceitar pura e simplesmente um fato como paranormal, é bom fazer uma investigação criteriosa, para poder chegar a esta conclusão ou não.
– É bom que o parapsicólogo conte também com a ajuda de outros profissionais ligados ao ilusionismo, há muitos truques de magia em certos casos.

Vª parte

Sem Mistério:
– “Fogos fátuos”
“Os ‘fogos fátuos’, que são vistos sobre os pântanos, nos cemitérios, e em qualquer lugar onde há combustão de gás desprendido de matérias orgânicas em putrefação têm dado origem a mais de uma lenda de fantasmas”.

– Gás dos pântanos (“candeeiros dos mortos”, “fogos de elfos”, “lanternas de mone”)
O hidrogênio protocarbono, chamado gás dos pântanos, arde numa chama azulada, pouco brilhante, mas perceptível na escuridão. Nos cemitérios, a causa dos lendários fogos é o hidrogênio fosforado, produto da decomposição que se inflama facilmente ao contato com o ar. A imaginação popular designa esse fogo com os nomes de “candeeiros dos mortos”, “fogos de elfos”, “lanternas de mone”, etc…

– Fogos de “Sant-Elmo” (Santelmo)
“Os fogos de ‘Sant-Elmo’ se devem à acumulação da eletricidade ambiental. Podem ser vistos, em dias de tempestades sobre as torres de igrejas, sobre a copa das árvores, etc”.

– Eletricidade estática
“A eletricidade estática com que se carregam algumas peças de vestir, especialmente as de nylon, faz com que produzam faíscas na escuridão. Também podem dar a impressão de se estarem movimentando. Este fenômeno nada tem a ver com o magnetismo animal, como já foi pensado. É simplesmente um fenômeno elétrico normal”.

Fosforescências
“A Fosforescências podem se produzir em organismos dissecados ao tomarem contato com o oxigênio livre ou com a água”.

– Bio-luminosidade
“Pirilampo, vagalumes, …
O fenômeno é muito frequente no mundo animal. A bio-luminosidade se caracteriza pela emissão de luz sem emissão de calor”.

– Fotogêneses humana
“Podemos classificar de parapsicológica, a fotogêneses humana, pois requer pessoas e circunstâncias especiais”.

– Fotogêneses verdadeiras e trucadas
“Os fenômenos luminosos são relativamente frequentes nas experiências de efeitos físicos. E sua aparência externa é a mesma quando trucados e quando verdadeiros (causados pela telergia – parapsicológicos). São pontos luminosos, faíscas, nuvens que aparecem no ar, às vezes a alguns metros de altura. Movimentam-se mais ou menos rápido, mudam de forma, variam de intensidade, logo desaparecem inesperadamente. Estes fenômenos foram também obtidos por meio de óleos fosforados”.

Reflita e analise:
Você teria algumas perguntas a fazer nesta quinta parte do texto? Quais?

VIª parte

A autora deste artigo, sobre Fotogênese na Revista Parapsicologia número 23, tem esse posicionamento sobre “Aura”:
“Relacionadas com a fotogênese, estão os fenômenos de ‘aura’. Lendas e exageros a respeito da ‘aura’ provêm da antiga filosofia esotérica. A Sociedade Teosófica trouxe-a em 1875 do Oriente e adaptou-a às exigências do Ocidente”.

Telergia
“Qualquer exteriorização um tanto mais especial de energia somática do homem, mesmo que no fundo possa, às vezes, ser identificada com a energia elétrica, calorífica, de fosforescência ou de raios ultravioleta, etc.; podemos englobá-la sob o nome geral de telergia, isto é, exteriorização e transformação da energia orgânica”.

Reflita e analise:
– “A Telergia é exteriorização e transformação da energia orgânica”.

– Quais os outros questionamentos você faria a esta sexta parte do artigo?

VIIª parte

Os Místicos e a fotogênese
Os Místicos

“São muito frequentes os casos de fotogênese e aura no contexto religioso. O papa Bento XIV, Propero Lambertini, que estudou tão profunda e sabiamentea diferença entre fenômenos parapsicológicos (naturais, humanos) e os milagres (sobrenaturais, divino), adverte: É uma realidade a existência, às vezes, de ‘chamas’ naturais que rodeiam a cabeça dos homens ou que irradiam do corpo inteiro da pessoa, geralmente em forma de faíscas. Há pessoas que são rodeadas por uma luz brilhante que não provém delas mesmas, mas de seus vestidos, bastão ou espada que levam consigo”.

Muitas das aparições luminosas que são observadas nos místicos, devem ser atribuídas a causas naturais. Não as admite o papa Bento XIV como miraculosas.

Reflita e analise a sétima parte:
– “Diferença entre fenômenos parapsicológicos (naturais, humanos) e os milagres (sobrenaturais, divino)”.
– “Não as admite o papa Bento XIV como miraculosas a fotogênese” …

VIIIª parte

Milagre
“O Papa Bento XIV só não duvida em classificar como de origem sobrenatural (Milagre), luminescências imensamente superiores às fotogêneses naturais. Tais luminescências sobrenaturais são apresentadas unicamente por santos católicos, como Carlos Borromeu (1538-1584), Filipe Neri (1515-1595), Inácio de Loyola (1491-1556), Francisco de Sales (1567-1622).

“O caso mais obrigatório de se lembrar seria das ‘línguas de fogo’ aparecidas sobre a cabeça dos apóstolos no dia de Pentecostes. (Superior a qualquer Fotogênese natural).

“No processo de beatificação de Bernardino Realino, por exemplo, se analisou sua fotogênese extraordinária: Uma das testemunhas, o senhor Tobias, descreveu como em 1608, foi consultar o jesuíta padre Bernardino, hoje canonizado. ‘A porta se achava entreaberta podendo ele observar uma luz extraordinária que aparecia pela pequena abertura e através das gretas. Perguntando-se a razão de tal claridade, empurrou a porta: foi então que viu o padre ajoelhado, em êxtase, e elevado ao ar, dois pés e meio do chão’.

Uma levitação assim, tão notável, pode perfeitamente explicar-se como levitação parapsicológica (sob a ação da telergia) como reação natural à emoção mística. A fotogênese, porém, parece excessiva para ser só natural.

Muitas outras pessoas foram testemunhas da extraordinária luz que às vezes desprendia transformando o semblante do padre Bernardino. Declaravam que tinham visto sair faíscas de todo o corpo (o que pode ser fotogênese natural) mas muitas outras testemunhas afirmavam: em uma ou duas oportunidades, o brilho era tal que não se conseguia distinguir suas feições e tinham que desviar as vistas. Isto já supera qualquer fotogênese observada em todos os tempos e ambientes; é exclusivo do ambiente religioso divino. (Milagre)”

Reflita e analise a oitava parte:
– “
Tais luminescências sobrenaturais são apresentadas unicamente por santos católicos”.

– “Levitação parapsicológica. A fotogênese, porém, parece excessiva para ser só natural”.
– “Declaravam que tinham visto sair faíscas de todo o corpo (o que pode ser fotogênese natural)”.
– “O brilho era tal que não se conseguia distinguir suas feições e tinham que desviar as vistas”.
– “É exclusivo do ambiente religioso divino (Milagre)”.

IXª parte

Máquina Kirlian
“Não vamos terminar este artigo sem antes fazer uma pequena alusão às fotografias da máquina Kirlian. Impressionam-se as chapas fotográficas com as ‘auras’, não só dos seres vivos, mas também dos objetos.

Tiller e D. G. Boyers, grandes experimentadores, desenvolvendo a técnica de Kirlian chegaram à conclusão de que os halos são um fenômeno muito familiar aos físicos: o efeito Corona, isto é, a descarga que aparece em torno da superfície de um condutor quando a voltagem excede determinado ponto crítico e causando a ionização do ar.

Neste efeito Corona, tem relevado destaque a maior ou menor umidade do objeto”.

Reflita e analise a nona parte:
– “
Impressionam-se as chapas fotográficas com as ‘auras’, não só dos seres vivos, mas também dos objetos”.

– “Desenvolvendo a técnica de Kirlian chegaram à conclusão de que os halos são um fenômeno muito familiar aos físicos”.
– Reflita também sobre o efeito Corona

 

Xª parte

Sobre o artigo de Janet Veja: “Fotogênese”, que dividi em nove partes, dez com esta de encerramento, que é uma consideração minha. Artigo este que Jane Vega publicou na Revista de Parapsicologia 23. CLAP- Centro Latino Americano de Parapsicologia.

Não que Ela fale isso, sobretudo no artigo, mas pela maneira de expor e pela linha de pensamento, ela seguiu a escola de parapsicologia de Pe. Quevedo (falecido). Além do mais o artigo foi publicado numa revista do CLAP, que tinha afrente na época O Pe. Oscar G. Quevedo

Lembrando do nosso tema que “A Fotogêneses é um fenômeno de luminosidade, onde a energia corporal exteriorizada, guiada pela mente e transformada em luz”.

Conclusão
Diferente de outras correntes de parapsicologia, que basta aparecer a luminosidade já ser classificada de Fotogêneses. E alguns grupos religiosos que já atribui como algo sobrenatural, Janet Vega, faz uma análise mais ampla mostrando que muitas manifestações podem parecer com o fenômeno e não tendo uma explicação de outra natureza, como elétrica, física, etc. acaba julgando ser o fenômeno parapsicológico. E muitas vezes não são.  Mostra também coisas que normalmente outras correntes não fazem, é mostrar que este fenômeno pode ser trucado e se apresentar como fenômeno verdadeiro. Ela lembra também e não descarta, que certos fenômenos dados a sua grandeza fogem a nossa explicação cientifica, especialmente parapsicológica, para ser um fenômeno sobrenatural, colocada por ela como milagres.

Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Parapsicólogo Clinico – 
ABPSIG – 409.

Referência Bibliográfica
– Janet Vega – Revista de Parapsicologia 23. CLAP- Centro Latino Americano de Parapsicologia.
FILHO, Pe. Raimundo Elias. Mistério do Aquém e do Além à Luz da Parapsicologia. 2ª edição, Editora Paulus, São Paulo – SP, 2003.

LEIA TAMBÉM

    cat